Colégio do Centeio

Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Download Template Joomla 3.0 free theme.

Terrário

Com a chegada do calor, a turma do primeiro ano parece ter ganho um interesse, ainda maior, em explorar o espaço envolvente do Colégio do Centeio. À sala têm chegado diariamente diferentes bicharocos tais como caracóis, joaninhas, bichos-de-conta, percevejos e gafanhotos, ou seja todos os que se deixam capturar, acabam por ir assistir às nossas aulas.

O pior é que após um esforço árduo de busca e captura a professora apela a que observemos as ditas criaturas e as libertemos novamente no seu habitat natural. O que nem sempre nos deixa tempo suficiente para observarmos estes animais com a atenção desejada.

Assim sendo, surgiu a ideia de criarmos um terrário para a sala de aula. Com a construção de um terrário poderíamos prolongar a estadia de alguns bicharocos na nossa sala de aula, possibilitando assim uma observação mais pormenorizada de alguns dos seus comportamentos e características físicas.

Pusemos mãos á obra e fomos investigar que materiais seriam necessários para reproduzir um habitat o mais semelhante possível ao destes animais, em contexto de sala de aula.

 

 

Nota: o suporte para o terrário pode ser um aquário ou uma caixa em acrílico, desde que todos os lados permitam a visibilidade do seu interior.

 

 

 

Formámos equipas de trabalho e cada equipa ficou encarregue por procurar, no espaço exterior, os materiais necessários.

Construção
1. No fundo do terrário colocámos uma camada de gravilha.
2. De seguida acrescentámos a terra composta.
3. A areia foi a terceira camada a colocar.
4. Acrescentámos algumas plantas.
5. E por fim a madeira em decomposição e um pequeno recipiente com água a fim de tornar o ambiente húmido.

Criado o espaço adequado para acolher os bicharocos estava na altura de escolher qual a primeira espécie que gostaríamos de observar. A nossa escolha recaiu sobre os Isópodes Terrestres, mais comummente conhecidos como “bichos-de-conta”.

O processo de construção do terrário, bem como a escolha da primeira espécie a estudar foram devidamente registados nos cadernos de laboratório dos alunos. Alguns alunos sugeriram mesmo a realização de um projeto de investigação para descobrirem mais acerca da primeira espécie que se propuseram observar.

 

 

Em comunhão com a natureza

O espaço envolvente do nosso colégio tem-nos potenciado excelentes momentos de comunhão com a natureza.

Todos os nossos sentidos se apuram, as cores são vibrantes, os cheiros inebriantes e o toque mesmo que singelo e suave desperta-nos para a vida em comunhão com a natureza.

Ao longo deste ano letivo, várias têm sido as saídas de campo ao meio envolvente do nosso colégio, onde temos feito descobertas, partilhado experiências e onde temos aprendido a observar a vida com atenção.

 

 

Contámos histórias, semeámos e tratámos a horta.

 

   

Observámos os seres vivos.

 

  Observámos o crescimento das nossas sementeiras.

 

   

E tudo o que observámos foi registado com muito cuidado.

Arte na Sala

 

 

Apesar de estar mais do que provado, que a nossa sala de aula está cheia de pequenos artistas, no passado dia 6 de janeiro observámos com muita atenção algumas obras de um artista italiano do sec.XVI, Guiseppe Arcimboldo.

Este peculiar artista compunha as suas obras através da representação de elementos naturais tais como frutos, vegetais e flores. Embora o seu espólio seja extenso, debruçamo-nos apenas sobre a observação de quatro obras, nomeadamente as “Quatro estações”.

Através deste momento, trabalhámos temáticas como as estações do ano, os frutos e vegetais característicos de cada uma das quatro estações, as cores e tonalidades e muito mais.

Cada um de nós teve ainda a oportunidade de eleger o seu quadro favorito, nomeando as razões dessa escolha.

Foi uma verdadeira ida ao museu, sem sair da sala de aula.

 

 

Dia de Reis

No passado dia 6 de janeiro, pela manhã, recebemos três visitas, muito especiais.

Quando menos se esperava, irromperam sala a dentro três figuras do conhecimento geral, eram mesmo os três Reis Magos.

Belchior, Gaspar e Baltazar, ao que tudo indica caminhavam há já alguns dias, guiados por uma estrela muito brilhante.

 

 

Quando chegaram à nossa sala perguntaram-nos se havíamos visto o menino Jesus, pois como a estrela havia passado ali perto, talvez o tivéssemos encontrado.

Cada um dos Reis Magos trazia consigo um presente para oferecer ao menino que havia nascido, ouro, incenso e mirra eram as oferendas.

Gostámos muito de receber a visita destes três amigos, porém as surpresas não terminaram por aqui, à tarde, durante o lanche, os amigos da sala amarela partilharam connosco um saboroso bolo-rei.

Obrigado a todos.

 

Gosma Pegajosa

No dia 31 de outubro, para ajudar nos preparativos da festa de halloween, a turma do 1ºano realizou a experiência da “gosma pegajosa”.

O objetivo era criar uma substância viscosa, que se assemelhasse ao nosso muco nasal, afim de podermos brincar um pouco.

Para o efeito necessitámos de alguns materiais:

- 1 embalagem de farinha maizena.
- água.
- recipiente transparente.
- corante alimentar de cor verde.
- colher de pau.

 

 

E assim foi, colocámos a farinha dentro do recipiente e fomos juntado água, aos poucos, até obtermos uma mistura uniforme e consistente. Por fim juntámos o corante verde que deu à mistura um toque real.

Podemos ainda observar que esta mistura era muito particular, pois quando lhe tocávamos com suavidade esta era mole e maleável e quando lhe imprimíamos força tornava-se rija e muito resistente.

 

Mais artigos...

Autenticação

Social

FacebookMySpaceTwitterDiggDeliciousStumbleuponGoogle BookmarksRedditNewsvineTechnoratiLinkedinMixxRSS FeedPinterest
Pin It