Colégio do Centeio

Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Download Template Joomla 3.0 free theme.

Projeto com as famílias: “A mala cor-de-rosa”
Legumes e frutos…

No dia 29 de abril contamos com a visita dos pais do Diogo na nossa sala, ou melhor, no refeitório! A mala cor-de-rosa vinha muito pesada e quando ela se abriu, a mamã Sofia começou a tirar lá de dentro alguns legumes que nós comemos na sopa. Batatas, cenouras, feijão-verde, alho-francês, tomates, couve, curgetes, coentros, enfim, todos estes legumes foram passando pelas nossas mãos e nós fomos sentindo as suas texturas, os seus cheiros, havendo mesmo quem ousasse trinca-los assim a cru! Depois, vieram os frutos… Maçãs, laranjas, bananas, kiwis, pêssegos, manga, ananás e aqui já pudemos sentir também os seus sabores. Foi um lanche matinal rico em vitaminas, que nos encheu de energia para toda a semana, ao mesmo tempo que nos proporcionou o contacto direto com alimentos saudáveis tão variados.

 

     

Uma flor para a nossa sala…

No dia 15 de abril, foi a Raquel que preparou uma nova experiência para nós… Depois de tanto falarmos, cheirarmos, dançarmos e pintarmos com flores, porque não plantarmos uma flor verdadeira e cuidarmos dela na nossa sala? Saímos então para o alpendre e lá encontrámos alguns alguidares cheios de terra para explorar. É desta forma que vamos conhecendo o mundo que nos rodeia… tocando, cheirando, provando, sentindo! Tínhamos também algumas pás e ancinhos para nos sentirmos verdadeiros “jardineiros”, mas optámos por usar sobretudo as nossas mãos! Depois, enchemos os vasos com terra para plantarmos a nossa flor e, no fim, regámo-la com água!

 

     

     

Flores da Primavera…

Chegou a Primavera… Mais uma oportunidade de vivenciarmos novas experiências e novas aprendizagens!

- Assistimos a uma pequena dramatização na nossa sala alusiva a esta estação do ano. Quando uma música clássica começou a tocar, algo debaixo do lençol pareceu agitar e espreitar… Era o nascer de uma FLOR, com todo o seu esplendor! Devagarinho, a flor foi crescendo, balançando-se delicadamente para um lado e para o outro, sobrevoada também por duas pequenas borboletas. Estava tão feliz esta flor, que muitas pétalas lançou pelo ar e outras flores trouxe para nós podermos tocar e cheirar!

 

     

 

- Nessa manhã, aquela FLOR que ganhara vida permaneceu na nossa sala, propondo-nos fazer um trabalho de expressão plástica para colorirmos o nosso placar. Experimentámos então fazer uma carimbagem com flores, pois claro, e o resultado final não poderia ser mais bonito!

 

     

 

- Vestimos fatos de flor e dançámos ao ritmo da Primavera de Vivaldi. Sozinhos, com um par ou numa roda, terminámos todos a balançar e a rodopiar! Parece que a Primavera chegou e veio mesmo para nos alegrar!

 

     

As tradições da Páscoa…

Na sala rosa celebrámos a Páscoa, conhecendo algumas tradições desta época festiva. Partindo da história “Os ovos da Páscoa do Bolinha”, fizemos os nossos próprios ovos da Páscoa, utilizando a técnica que gostamos mais, a digitinta, mas desta vez com “tinta” de chocolate. Começámos a espalhá-la sobre a mesa, mas aquela cor e textura eram de desconfiar… mexemos e remexemos, até que descobrimos que esta “tinta” podíamos saborear!

 

 

Também confecionámos o tradicional folar da Páscoa… A Ana amassou tudo de manhã cedo e depois tivemos de esperar um bocadinho para pôr as mãos na massa. Primeiro a farinha na mesa para não agarrar, a qual não resistimos em provar… Depois a massa, que tanto gostámos de apertar… O ovo no meio para finalizar e pronto, foi ao forno cozer para depois o podermos levar!

 

O primeiro passeio à quintinha

No dia 21 de março fizemos o nosso primeiro grande passeio! Agora que já todos adquirimos a marcha, as deslocações pelos espaços exteriores do colégio também já se tornam mais fáceis! Assim, vestimos os casacos, colocámos os chapéus e saímos da sala, dando a mão a um amigo. O caminho foi longo, mas conseguimos chegar ao nosso destino: a Quintinha Pedagógica do Avô Zé! Corremos logo para junto das galinhas, dos coelhos, dos galos, da cabrinha, que também se aproximaram das redes para nos conhecer. O nosso olhar estava desperto, os nossos dedinhos curiosos a querer tocar em tudo, e os nossos sorrisos e gritos de alegria ecoavam na quintinha, juntamente com o “mééé…” e o “cócórócócó” dos pequenos animais! Adorámos e havemos de voltar, com toda a certeza!

 

     

     

Projeto com as famílias: “A mala cor-de-rosa”
A descoberta de animais… e de uma rola especial!

No dia 20 de março recebemos a família da Joana na nossa sala, que trazia várias surpresas para nós. Primeiro, a mamã Isabel abriu a mala e de lá começou a tirar grandes fotografias dos animais que existem na casa dos avós da Joana e que ela tão bem conhece… Cães, gatos, galinhas, uma tartaruga, um passarinho… Fomos observando-os um por um, ao mesmo tempo que escutávamos os seus sons nos livros sobre estes animais. Depois, a avó entrou com uma grande gaiola na sala e de lá tirou uma rola! Uma rola muito meiguinha que nos deixou tocar e dar-lhe umas festinhas! Ficámos tão contentes de conhecê-la que no final não queríamos sair de perto da gaiola!

 

     

Projeto com as famílias: “A mala cor-de-rosa”
Paisagens, sons e sensações…

No dia 27 de fevereiro, foi a vez de recebermos os pais do João Pedro, que prepararam para nós uma grande surpresa. Quando entrámos na bebeteca já estava tudo a postos para começar a dramatização… Embalados pela música, fomos acompanhando as paisagens de sol, chuva, vento e neve projetadas na parede, ao mesmo tempo que seguíamos atentamente os movimentos da mãe Ana e do pai André, que nos estimulavam através de sons e sensações! Uma “máquina” de teatro fazia o som do vento, uma chapa o som da trovoada, um ventilador fazia-nos sentir o calor do sol e o gelo o frio da neve! De repente… pingue, pingue, começou a chover e tivemos de abrir rapidamente os chapéus-de-chuva! No final, quando abrimos a mala, descobrimos muitos papelinhos brancos que, lançados ao ar, faziam o efeito de neve, originando momentos de pura diversão e encantamento!

 

     

O mundo às cores

O carnaval é sempre sinónimo de alegria, diversão e muita cor, por isso, a Ana desafiou-nos a ver o mundo às cores! Querem saber como fizemos? Muito fácil… Bastaram uns quadrados coloridos de papel celofane para colocarmos à frente dos nossos olhos e pronto, magia! Quando olhávamos à nossa volta tudo estava de uma só cor… ora verde, ora amarelo, azul ou vermelho! Como veem, materiais simples podem proporcionar-nos longos momentos de descoberta e diversão! Depois, aproveitámos esses papelinhos coloridos para fazer um trabalho de colagem alusivo ao carnaval.

 

     

     

Projeto com as famílias: “A mala cor-de-rosa”
Adereços de carnaval

No dia 11 de fevereiro, recebemos a visita da família do Francisco. A mãe Raquel e o pai Carlos entraram na sala a carregar a nossa mala cor-de-rosa e de lá começaram a tirar chapéus… muitos chapéus de diferentes tamanhos e feitios, perucas coloridas e também alguns instrumentos, como maracas e jambés. Começavam assim os nossos festejos de Carnaval, acompanhados por muitas serpentinas a esvoaçar pelo ar! Os chapéus iam rodando nas nossas cabeças, as perucas nas nossas mãos, mas os jambés foram certamente a melhor descoberta, gostando nós todos de bater neles e de produzir diferentes sons. Foi uma manhã muito animada e divertida!

 

     

Projeto com as famílias: “A mala cor-de-rosa”
Balões coloridos

No dia 28 de janeiro, recebemos a visita da família da Melis para a dinamização do projeto da mala cor-de-rosa. Os papás e o mano Davut foram então chamar-nos à sala, uma vez que a atividade iria ser desenvolvida na bebeteca. E quando a porta se abriu… Oh! Ficámos encantados por ver tantos balões espalhados pelo nosso teto! Dentro da mala, mais balões esperavam por nós… Balões de diferentes formas, cores, tamanhos, uns até faziam barulho quando os abanávamos! Foi uma alegria imensa podermos brincar a manhã toda com algo de que gostamos muito. No final, levámos todos os balões para a nossa sala, passando os dias seguintes a puxar os balões com hélio para baixo e a vê-los depois subir novamente! É tão giro!

 

     

Projeto com as famílias: “A mala cor-de-rosa”
Roupas de inverno

No dia 23 de janeiro, recebemos a visita da primeira família na sala para dinamizar o projeto da mala cor-de-rosa. A mãe Vanda e o mano Francisco foram assim os nossos convidados. Com a ajuda do Vasco, entraram na sala a empurrar a mala, enquanto todos nós já esperávamos sentados no tapete. Quando ela se abriu, saíram primeiro uns instrumentos musicais para nós brincarmos… Pianos, cornetas, guizos a tocar, para o resto anunciar: cachecóis e gorros quentinhos de inverno, para o frio afastar! E nós passámos o resto da manhã mergulhados nesta roupa, havendo muito por experimentar… Na nossa sala ficou agora também um baú com algumas destas roupas para podermo-nos vestir e começar a desenvolver as nossas primeiras brincadeiras de faz-de-conta!

 

     

O tapete de texturas

No dia 14 de janeiro, descobrimos algo novo dentro da nossa mala cor-de-rosa! A Rita chamou-nos a atenção para uma pontinha de fita que estava do lado de fora … Pediu-nos para a puxar e foi o que fizemos, até a mala se abrir! Lá dentro, muitos tecidos para nós tocarmos e brincarmos e, à medida que eles iam passando pelas nossas mãos, íamo-nos apercebendo que eles eram diferentes…

Depois, a maior revelação… Um tapete de diferentes texturas que a Rita construiu para nós. A nossa primeira reação foi logo a de deitarmo-nos sobre ele, por ser tão fofinho! Só depois é que fomos reparando nos seus pormenores com a ajuda dos adultos... Cada tecido oferece uma sensação diferente quando o tocamos, à semelhança de algumas saliências que nele estão implementadas (botões, formas de feltro, cordões com bolinhas…).

Esta atividade teve como principal objetivo proporcionar-nos uma experiência sensorial ao nível do tacto, através da exploração das diferentes texturas.

 

   

As bolas e a árvore de Natal

Continuamos a explorar o livro de Natal em grupo. Numa manhã, no fim de ouvirmos a história, apareceram então muitas bolas de Natal a rebolar perto de nós no tapete… Grandes, pequenas, umas coloridas, outras sem cor… Eram tantas que nós nem conseguíamos decidir quais agarrar! Observámo-las com muita atenção, tentámos mordiscá-las também, batemos umas contra as outras para fazer barulho, enfim, lá estávamos nós nas nossas explorações!

 

     

 

Depois surgiu a proposta: e se decorássemos as bolas que não tinham cor para enfeitarmos a árvore de Natal do colégio? Proposta aceite e mãos à obra! Pintámos as mãos com tinta e depois agarrámo-las para as deixarmos pintadas! No entanto, esta tarefa revelou-se um bocadinho difícil, uma vez que as bolas escorregavam e saltavam das nossas mãos… mas foi divertido! Assim que as nossas bolas ficaram prontas, fomos então colocá-las na árvore de Natal do Centeio, dando-lhe um brilho especial!

 

     

Os enfeites de Natal

No dia 3 de dezembro, o Natal chegou à nossa sala. Veio sob a forma de um livro que a estagiária Rita nos mostrou. Nele apareciam alguns enfeites de Natal (bota, fada, estrela, árvore, presente,…), atrás dos quais alguns bebés se escondiam para depois aparecerem a fazer “cucu” para nossa alegria!

Ora, no fim de escutarmos a história, eis que surge a nossa mala cor-de-rosa. Desta vez, trazia-nos também enfeites de Natal: gorros, fitas coloridas, bonecos, coroas de azevinho,… Claro que todos quisemos tocar, agarrar, manipular e o gorro experimentar, ao mesmo tempo que no rádio as primeiras músicas natalícias começavam a tocar! E foi assim, mergulhados em todos estes elementos festivos, que demos as boas vindas ao Natal!

 

     

Brincadeiras com caixas de cartão

No dia 28 de novembro, tivemos uma experiência diferente na bebeteca. Quando entrámos, muitas caixas de cartão estavam lá à nossa espera, todas espalhadas pelo chão! Começámo-nos a aproximar, a observar e, entretanto, com o incentivo dos adultos, demos início às nossas explorações! Fizemos grandes descobertas…

Descobrimos que uma caixa pode transformar-se numa casinha, ou então num carro de corrida que se desloca a grande velocidade quando alguém nos empurra, descobrimos também que uma caixa pode transformar-se num tambor que emite sons diferentes consoante a força com que batemos, ou então num túnel ou simplesmente num esconderijo, motivo para fazermos “cucu” aos amigos… Tantas coisas!

Materiais simples, como caixas de cartão, permitem aos bebés ser mais criativos e inventar novas formas de brincar. Nesta brincadeira, o grupo acabou por se envolver em experiências de abrir e fechar, entrar e sair, encher e esvaziar, esconder e descobrir o que está escondido… Assim, ao mesmo tempo que brincaram e se divertiram, estiveram também a desenvolver noções espaciais com os objetos e com o seu corpo.

 

     

     

Uma pintura "saudável"...

Numa manhã, quando a porta do nosso refeitório se abriu, tudo estava diferente… As mesas e as cadeiras tinham dado lugar a uma grande superfície de papel! No chão, tintas coloridas feitas a partir de alimentos (água, farinha, cenoura, beterraba, alfarroba e espinafres) esperavam por nós…

Entrámos muito curiosos e, aos poucos, começámos a aproximar-nos das tintas e dos pincéis. Alguns de nós estranharam as novas texturas e sentiram-se incomodados com alguma sujidade, enquanto outros vibraram com a nova experiência, espalhando as tintas de forma entusiasta sobre o papel e sobre as suas perninhas, num processo de constante descoberta e exploração dos materiais que os rodeavam! A atividade culminou depois num grande banho quentinho!

 

     

     

Um pouco de cozinha...

No dia 29 de outubro, sentados na bebeteca, uma música começou a tocar e rapidamente a Ana e a Rita apareceram a dançar. Estavam vestidas de cozinheiras, certamente traziam algo para nos mostrar! A “mala cor-de-rosa” apareceu logo de seguida, trazendo pratos, copos, colheres, tigelas, alguidares e outros utensílios de cozinha para explorar! E nós descobrimos sons de massas e arroz em garrafas, sons ao bater com as mãos e as colheres nos alguidares, reconhecemos alguns utensílios e imitámos instintivamente ações do quotidiano (beber pelo copo, mexer com a colher…).

Em suma, explorámos, investigámos e observámos os resultados das nossas diferentes ações sobre os objetos, permitindo-nos assim descobrir as suas propriedades e conhecer um pouquinho mais da realidade que nos rodeia. Foi assim um grande “piquenique” exploratório que nos veio alegrar nesta manhã!

 

     

     

O Outono na Sala Rosa...

O outono veio de mansinho, pé ante pé, e entrou na nossa sala sob a forma de uma mala! Foi o início do projeto “A Mala Cor-de-rosa”. A Ana aguçou a nossa curiosidade… “o que está dentro da mala cor-de-rosa?”. Claro que isso bastou para nos deixar atentos, esperando pelo que ia acontecer. E eis que no momento seguinte a mala abriu-se e de lá saíram folhas… Muitas folhas de outono com diferentes tamanhos e diferentes cores… A Ana e a Raquel ajudaram-nos a espalhá-las, soprando-as e fazendo-as cair lá do alto, como acontece nas árvores! E de repente, a nossa sala transformou-se num pequeno jardim.

No dia seguinte, encontrámos um cestinho na mesa do refeitório, muito colorido e apelativo! Eram alguns frutos do outono… Marmelos, maçãs, dióspiros (vindos diretamente da quinta dos avós da Melis!), uma romã (apanhada na romãzeira do nosso sobreiral pelos amigos da sala lilás!) e nozes! A Ana e a Raquel começaram então a nomeá-los um a um e a passá-los para as nossas mãos, de modo a que pudéssemos explorá-los livremente e depois prova-los.

No seguimento destas descobertas, fizemos também digitinta com as cores características desta estação. Foi o nosso primeiro contacto com as tintas!

 

     

     

As partilhas da Sala Laranja...

No mês de setembro, recebemos as primeiras visitas anunciadas na nossa sala. Primeiro, os amigos da sala laranja vieram entregar-nos um cestinho com amêndoas apanhadas no nosso sobreiral! Depressa nos aproximámos para observar algumas fotografias das amendoeiras em flor e para explorar as folhas e as amêndoas com os nossos sentidos!

 

     

 

Uns dias mais tarde, outra partilha da sala laranja… Os amigos ofereceram-nos um pão de abóbora feito por eles. Comemo-lo ao lanche, depois da nossa papinha. Soube-nos mesmo bem comer aquele pãozinho ainda quentinho, deixando o nosso estômago mais aconchegado e docinho!

 

     

Sala Rosa... um novo recomeço!

Com o começo de um novo ano letivo, chegaram ao Colégio do Centeio novos bebés! Setembro marcou assim o início de uma grande etapa nas suas vidas… a entrada na creche!

Primeiro, os bebés partiram “à descoberta da sala rosa”, contando com a presença das famílias e com os mimos e colinhos dos adultos da sala…

 

 

Depois, partiram “à descoberta de outros espaços”, como o jardim exterior e a bebeteca. Ali faziam novas descobertas, sentiam a natureza ao seu redor e “testavam” as suas capacidades físico-motoras…

 

 

Ao mesmo tempo, partiam também “à descoberta do outro”, começando a observar as explorações individuais dos amigos, a brincar lado a lado, a partilhar um mesmo brinquedo… Surgiam desta forma as primeiras interações, os primeiros olhares, os primeiros sorrisos e trocas de afeto no grupo!

 

Autenticação

Social

FacebookMySpaceTwitterDiggDeliciousStumbleuponGoogle BookmarksRedditNewsvineTechnoratiLinkedinMixxRSS FeedPinterest
Pin It