Colégio do Centeio

Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Download Template Joomla 3.0 free theme.

Junho de 2016

Quando os bebés vão à quinta

Foi com pequenos passinhos, alguns ainda meio inseguros e trémulos, que partimos à descoberta da “Quintinha Pedagógica do Avô Zé”. Ao longe, ouvimos o canto do galo que nos deixou ainda mais curiosos em relação ao que íamos encontrar. Para além do galo, encontrámos, na quinta, as galinhas, as cabras, os coelhos e muitos passarinhos. Após alguma hesitação, quisemos estar perto de todos estes animais para os observarmos e conhecermos melhor. A quintinha tornou-se num dos espaços exteriores mais apreciado pelos bebés da sala rosa.    

     

A equipa sala

Junho de 2016

As primeiras descobertas dos bebés no sobreiral

 

Foi na companhia dos nossos coleguinhas da sala lilás que descobrimos mais um espaço exterior do nosso colégio, o sobreiral. Chamamos-lhe assim porque este é um espaço onde existem muitos sobreiros e, para além dos sobreiros, podemos encontrar lá paus, folhas, ervas, troncos, cortiça, terra… Muitos elementos naturais que foram por nós explorados e, alguns, recolhidos para dentro de pequenos baldes. Apesar de, neste espaço, não existirem brinquedos, a riqueza em termos de elementos naturais levou-nos a criar os nossos próprios brinquedos (os troncos transformaram-se em cavalinhos) e brincadeiras (subir/descer, apanhar, observar…).

     

A equipa de sala

 

De 16 a 27 de maio de 2016

“Chau, chau Penico!”

 

O pequeno pintainho, depara-se com uma série de animais (uns mais simpáticos, outros mais assustadores) que, ao longo da história “Chau, chau penico!”, o incentivam a ser como os grandes: a usar a sanita sem nunca se esquecer de descarregar o autoclismo. 

Desde a primeira leitura que esta história teve o poder de captar a atenção e o interesse do grupo e, assim que terminou, ouviram-se vozes carregadas de ternura a dizerem: “Outra vez!”. Repetimos a história várias vezes e resolvemos “desmontá-la” transformando num pequeno teatro de fantoches. Parecia que, para alguns, a história tinha feito sentido e que tinha funcionado como um elemento motivador para iniciarem as primeiras experiências de uso da sanita.

      

A equipa de sala

Semana de 2 a 6 de maio de 2016

O Minhoco e a Minhoca

 

Na sua última semana de estágio, a estagiária Sara resolveu oferecer-nos (aos bebés da sala rosa) umas minhocas muito originais porque gostamos muito da canção do minhoco e da minhoca e também porque já tínhamos andado, no jardim, à procura de minhocas. Foi com tampas de garrafas que a Sara construiu um minhoco, uma minhoca e ainda uma minhoca bebé.  

Depois de muitas brincadeiras com tampas e recipientes com cavidades nos quais, através de experiências de tentativa-erro, fomos enfiando as tampas, surgiram então as minhocas. Enquanto as brincadeiras com as tampas, os recipientes e as minhocas decorriam, explorávamos noções de espaço (cheio/vazio, dentro/fora) e de tamanho (grande/pequeno).

      

A equipa de sala

Abril de 2016

Momento de expressão dramática, dança e movimento… 

Uma FLOR!

 

Foi de manhã, bem cedo, que o Sr. Luís apareceu na nossa sala e cavou um buraco enorme na terra, dentro do buraco depositou uma sementinha que depois tapou e regou. Sentou-se no chão e disse: “Ficarei à tua espera!”. Enquanto esperava, a terra agitou-se, surgiu uma folha e depois uma linda flor. Todos os bebés foram convidados a transformarem-se em pequenas flores e receberam fitas de tecido coloridas para agitarem e com elas dançarem ao som de “La primavera” de Vivaldi.  

     

A equipa de sala

Autenticação

Social

FacebookMySpaceTwitterDiggDeliciousStumbleuponGoogle BookmarksRedditNewsvineTechnoratiLinkedinMixxRSS FeedPinterest
Pin It