Colégio do Centeio

Deutschland online bookmaker http://artbetting.de/bet365/ 100% Bonus.

Download Template Joomla 3.0 free theme.

Folar de Páscoa

Na semana que antecedeu a páscoa, mais concretamente no dia 27 de março, confecionámos um folar na nossa sala, para partilhar com as nossas famílias.

Começámos bem cedo a preparar a massa, pois esta, depois de bem amassada, precisa de “descansar” um bocadinho, para o fermento fazer o seu trabalho e a massa levedar e crescer!

À tarde, antes do nosso lanche, moldámos um pedaço da massa, dando-lhe uma forma redonda, ligeiramente achatada. Depois colocámos um ovo cozinho no topo e, com mais dois pedaços de massa, fizemos duas tiras para manter o ovo bem seguro ao folar. Estando a nossa parte concluída, levámos os folares para o forno, onde cozinharam durante cerca de 30 minutos e de lá saíram com um cheirinho delicioso!

Para que o folar fosse transportado devidamente, já tínhamos também decorado um papel de embrulho e feito um cartão para os identificarmos. Como sabemos que vocês gostam muito dos nossos cozinhados, partilhamos aqui a nossa receita para que possam fazer também em casa!

Folar da avó Bete:

1kg de farinha
35g de fermento padeiro
100g de açúcar
5dl de leite
3 ovos
250g de margarina (ou banha)
Sal; erva doce; canela qb

Dissolve-se o fermento em leite morno com 200g de farinha.

E guarda-se bem tapado.

Mistura-se a restante farinha com os ovos o açúcar e o leite.

Por fim junta-se os restantes ingredientes.

Amassa-se até despegar das mãos e deixa-se levedar entre 2 a 3 horas. Molda-se o folar e vai ao forno cerca de 30 min.

Bom apetite!

 

  

  

  

  

Projeto “As Abelhas”

Durante a semana que passou, iniciámos o projeto “As Abelhas”. Este projeto surgiu na sala por proposta do Tomás Cosme, que já sabia algumas coisas sobre este inseto, mas estava interessado em descobrir mais coisas. Deste modo, com ajuda de todos fomos descobrindo muitas coisas acerca das abelhas!

O que já sabemos:
“As abelhas picam.” (Beatriz)
“Têm ferrões. Quando as abelhas picam dói muito. Elas vivem na colmeia.” (Tomás C.)
“A cor delas é amarelo e uma cor escura.” (Afonso)
“Fazem mel.” (Leonor)
“Quando picam faz uma borbulha.” (Beatriz)
“As abelhas são da família das vespas.” (Tomás C.)
“As abelhas gostam de mel.” (João P.)
“Elas vão buscar mel às flores.” (Beatriz)
“As abelhas gostam muito de tirar pólen das flores.” (Nicole)

O que queremos saber:
“Porque é que as abelhas picam.” (Beatriz)
“Porque é que as abelhas têm medo da água.” (Tomás C.)
“Porque é que elas gostam de pólen.” (Matilde F.)
“Como é a rainha.” (Tomás C.)
“Como é que elas constroem a colmeia.” (Beatriz)
“Como é que as abelhas fazem o mel.” (Nicole)

 

 

 

Algumas das nossas descobertas já se encontram escritas e afixadas no placar que está junto aos cabides da sala. Queremos agradecer a preciosa contribuição que o João Maria nos trouxe: um trabalho que o seu pai Marco realizou enquanto esteve na universidade a estudar.

Também queremos agradecer à Raquel, mãe da Sofia que veio ler o livro “O Ciclo do Mel”, da autoria de Cristina Quental e Mariana Magalhães, que é uma interessante proposta de leitura!

 

 

No período da tarde ainda realizámos algumas fichas de trabalho no âmbito deste projeto… fizemos um jogo com palavras que rimam com abelha e com colmeia, aprendemos como se escreve a palavra abelha e construímos dois jogos (jogo da memória e um jogo com palavras relacionadas com esta temática) para a nossa área dos jogos. E, todos fizemos abelhas em três dimensões e desenhámos uma abelha no início do projeto quando ainda não sabíamos bem como ela era e, outra depois de fazermos a nossa investigação, podendo deste modo comparar e observar as aprendizagens realizadas.

 

   

 

Ah, e ainda confecionámos um delicioso bolo de mel!

“Nova Iorque em Pijamarama”

No dia 18 de fevereiro, no âmbito do projeto que estamos a realizar em parceria com os pais, a mãe do Hugo, a Cláudia veio à Sala Amarela ler o livro “Nova Iorque em Pijamarama” da autoria de Michaell Leblond, editado pela Kalandraka.

«“Nova Iorque em Pijamarama” é um livro lúdico e interativo, onde são usadas imagens com uma técnica denominada ombrocinéma, desenvolvida em França no século XIX e, que consiste em colocar uma grelha em acetato por cima de cada imagem estriada do álbum, de forma que, sempre que aquela é deslocada, se cria uma surpreendente ilusão ótica de movimento. Em meados do século XX este sistema foi utilizado para desenvolver pequenos brinquedos, tendo sido também aplicado a livros.»

Este livro conta-nos a história de um menino que tem vestido um pijama às riscas. Sendo que “a hora de ir para a cama se transforma na desculpa ideal para empreender uma grande aventura: visitar Nova Iorque com olhar de pássaro. Vestido com o seu pijama às riscas, o protagonista da história sobrevoa a cidade: autoestradas, tráfego de veículos, ruas iluminadas e cheias de gente, ladeadas por arranha-céus que contrastam com as árvores do Central Park, bulício de sons que se plasmam por meio de onomatopeias e jogos tipográficos.”

No final, a Cláudia trouxe algumas folhas e canetas de acetato e propôs que naquelas folhas especiais desenhássemos um sonho que tivéssemos tido, ou que fizéssemos a ilustração da história do livro. Foi muito interessante podermos experimentar uma forma diferente de registo gráfico.

 

 

 

Obrigada Cláudia pela partilha do livro e pela sugestão!

Dia de S. Valentim

No dia 14 de fevereiro comemora-se o dia de S. Valentim. Conta a lenda que o imperador Cláudio II acreditando que os solteiros eram melhores combatentes, proibiu o casamento durante as guerras. O bispo Valentim lutou contra as suas ordens e continuou a celebrar casamentos. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto esteve na prisão, teria recebido muitas mensagens de encorajamento e flores das pessoas que acreditavam no amor.

Durante a prisão, Júlia, filha do seu carcereiro e cega de nascença, visitava-o com alguma frequência, levava-lhe comida e conversava com ele. Diz a história que Valentim, sensibilizado com o problema de Júlia, implorou diariamente a Deus para que a fizesse recuperar a visão. Certo dia, durante uma das suas visitas, uma luz iluminou a cela e Júlia começou a chorar e… a ver. Perante este milagre, toda a sua família se converteu ao Cristianismo. Cláudio II acabou por condená-lo à morte que se deu a 14 de Fevereiro de 269 d.C..

S. Valentim passou a ser considerado o mártir protetor dos namorados.

 

 

 

Para celebrarmos este dia em parceria com as famílias, decidimos criar o “correio da amizade”. Neste correio todos que quisessem podiam escrever e enviar uma mensagem de amor, carinho ou amizade para um amigo especial, um familiar, um colega, um educador/professor… e, no dia 14, o carteiro Paulo viria às salas entregar o correio correspondente.

Foram muitas as crianças que na sala quiseram enviar mensagens aos seus familiares e amigos, mas também foi muito bom podermos receber e partilhar as mensagens especiais que os pais/crianças escreveram aos seus filhos/educadores.



Quero ser o teu amigo.
Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...


Fernando Pessoa
            


Um grande obrigado a todos vocês por nos terem proporcionado este momento de amizade, carinho e amor!

“O Corpo Humano” – Visita da Rita (Aparelho Circulatório) e da Susana (Os Dentes)

A Sala Amarela tem estado a realizar o projeto “O Corpo Humano”. Este tem sido um projeto um pouco longo, pois os temas que quisemos abordar foram muitos. Contudo, de forma a enriquecermos ainda mais este projeto, temos vindo a ter a preciosa ajuda de alguns pais: a Rita, Mãe da Mariana veio falar-nos do aparelho circulatório e a Susana, mãe da Leonor trouxe-nos muitas informações novas acerca dos dentes e dos cuidados que devemos ter com eles.

Visita da Susana:

 

   

 

Visita da Rita:

 

 

 

Autenticação

Social

FacebookMySpaceTwitterDiggDeliciousStumbleuponGoogle BookmarksRedditNewsvineTechnoratiLinkedinMixxRSS FeedPinterest
Pin It